Woww! Acho que esta é a expressão que melhor define todas as vezes que termino uma corrida. Hoje confesso que foi especial, eram 12.000 mulheres, uma chuva abençoada que se transformou num sol incrível e muita música a acompanhar o percurso, tudo por uma causa que afecta muitas mulheres em todo o mundo e que, se não for descoberta a tempo, pode matar!

Actualmente em Portugal com uma população feminina de 5 milhões, surgem 6000 novos casos de cancro da mama por ano, cerca de 11 novos casos por dia, onde morrem por dia 4 mulheres. Se têm algum dos seguintes sintomas e mais de 25 anos façam o rastreio, é gratuito! Para saberem onde é que as unidades móveis andam ou onde é que podem fazer o vosso exame gratuitamente, vejam aqui.

  • Espessamento, massa ou “uma elevação” na mama, ou em qualquer outra parte do corpo.
  • Aparecimento de um sinal novo, ou alteração num sinal já existente. Ferida que não passa, ou seja, cuja cicatrização não acontece.
  • Rouquidão ou tosse que não desaparece.
  • Alterações relevantes na rotina intestinal ou da bexiga.
  • Desconforto depois de comer.
  • Dificuldade em engolir.
  • Ganho, ou perda de peso, sem motivo aparente.
  • Sangramento ou qualquer secreção anormal.
  • Sensação de fraqueza ou extremo cansaço.

Muitas vezes estes sintomas podem não ser cancro mas outra doença. De qualquer forma mais vale consultar um médico a tempo e não ser nada do que arriscar e depois ser alguma coisa de grave.

Agora o relato… Nunca é facil fazer uma corrida por mais que se treine, no dia da corrida tudo é diferente… o tempo, o piso, a roupa e até mesmo a velocidade. Saímos de Santos as 10h30 com o Emanuel a fazer o furor entre as mulheres e uma chuvinha que veio tão rápido que se foi, deixando um calor abrasador. Partida, largada, fugida… de phones nos ouvidos, entre um “I’m a starbooy” do The Weeknd, “Olha a explosão” do MC Kevinho ou o “Chunky” do Bruno Mars, corri ao lado das atletas de elite como eles chamam (uau!, mas só 5 segundos até elas darem um ligeiro sprint e eu só as voltar a ver na linha da meta, ja sentadas, quase de banho tomado e perfumadas!).

Aquele início parece sempre que se faz bem até ali uma altura que dá um cansaço extremo, até falta de ar às vezes mas como já estou habituada sei que é o meu corpo a tentar enganar-me e, acham que eu cedo?às vezes também! 😛 Durante a corrida tive de abrandar duas vezes, há quem diga que é pior mas até me dá alguma pica para retomar, quase como se fosse um treino de Hiit com a ligeira diferença que ali o que conta é a rapidez a chegar à meta e não a rapidez de um só sprint… A vista durante a corrida era linda, ver os jardins e a beira rio é realmente maravilhoso mas não com 30 graus, a correr, a suar e a sentir que vou cair a qualquer momento. Haviam vários pontos com cantores para animar a malta que corria e, claro, aqueles motivadores de bancada (que para ser sincera até dão uma grande ajuda quando uma pessoa sente que o tempo não passa) “Ah vai com tudo!”,  “Vocês conseguem“… e até tive uma menina que gritou “Bora Maggy” quando eu abrandei, isso até poderia ter sido uma lufada de ar fresco, não fosse eu já estar quase sem respiração e uns phones sem bateria desde o km3 (que tenho quase há 1 ano e só os carreguuei 3 vezes. A sério que hoje tinham de ficar sem bateria, a sério????!)…

Mas pronto, assim foi, até ao 3,4 e finalmente 5km. À chegada à meta ainda competi com uma rapariga com quem ia lado a lado  mas que me deu um grande banho de bola mas a verdade é que conseguimos chegar as duas. Foram 26min e uns segundos, muito bem passados, suados e maravilhados (lol)! Embora esteja super satisfeita com o resultado uma vez que já não corro como fazia antigamente, sejam 5km, 10 ou 20km a preparação podia ter sido melhor! 🙂

Até uma próxima… e preparam-se porque vou querer ficar nas 50 primeiras!!!! <3